• Centro de Preservação da Memória

Brasil Pinheiro Machado

Nasceu em Ponta Grossa, Paraná, em 12 de dezembro de 1907, filho de Brasil Ribas Pinheiro Machado e Maria Eugênia Pinheiro Machado. Foi casado com Suzana Diez Jeart Pinheiro Machado, com quem teve quatro filhos.

Realizou seus primeiros estudos no Instituto Becker, em Ponta Grossa, e cursou o secundário no Liceu Sagrado Coração de Jesus, em São Paulo. Tornou-se bacharel em Direito pela Faculdade Nacional de Direito do Rio de Janeiro (1930). Advogou alguns anos em Ponta Grossa, conquistando prestígio para ser nomeado prefeito da cidade durante o regime da interventoria Manoel Ribas (1932). Foi fundador, professor e diretor do Ginásio Regente Feijó, em Ponta Grossa (1931-1938), e deputado estadual (1935-1937). Transferiu-se para Curitiba e tornou-se professor de História e Diretor da Faculdade de Filosofia da Universidade Paraná (1939), conquistando mais tarde o título de catedrático da mesma cadeira (1950). Também foi Professor de Filosofia da Universidade Católica do Paraná (1939-1962).

Nomeado procurador geral da justiça do Estado em 15 de março de 1939, tomou posse no cargo no dia 11 do mês seguinte, permanecendo até outubro de 1945. Foi nomeado novamente ao cargo em 7 de janeiro de 1946, exercendo suas funções até 25 de fevereiro seguinte. ¹

Após deixar seu cargo, e frente à redemocratização do país em 1946, foi nomeado Interventor Federal do Paraná pelo presidente Eurico Gaspar Dutra – cargo que ocupou de 25 de fevereiro a 6 de outubro de 1946, quando renunciou devido à crise política no governo. A seguir, passou a conselheiro e juiz da 1ª estrutura organizacional do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (1947), porém renunciou para assumir a vaga de deputado federal do PSD, demonstrando-se muito atuante perante a Câmara dos Deputados. Em 1951, retornou à Corte de Contas e foi eleito seu presidente em 1965, aposentando-se no ano seguinte.

Entre outros trabalhos, publicou "Quatro poemas" (1928), "Sinopse da história regional do Paraná" (1951) e "História do Paraná" (em coautoria com Maria Cecília Westphalen e Altiva Pilatti, 1967).

Faleceu em 18 de outubro de 1997.


1. Nomeado pelo Decreto nº 8.292, de 15.3.1939. Exonerado, a pedido, em 30.10.1945.


* Brasil Pinheiro Machado foi o mais antigo procurador-geral de Justiça a ter entrevista gravada pela Comissão do Memorial.

** Para ler o texto "Brasil Pinheiro Machado, Procurador-Geral", escrito pelo procurador de Justiça aposentado Rui Cavallin Pinto, clique aqui.


Entrevista – 1996

Recomendar esta página via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem